16 maio, 2012

Alianças, Marketing e Cobardia: O Golpe da Bicha.

Olá malta! Hoje estamos especialmente mordazes.

"E o casamento gay? Também não aprovo.."
A Bicha Cobarde deste mês (sim senhor, leram bem, "mês", é das grandes!) chama-se Cláudio Ramos e eu aposto que vocês já o conhecem.
Recordam-se de uma pessoa assim muito masculina, activista e séria, que sempre defendeu os direitos LGBT?

Pois claro que não, esse seria o pai natal.

O Cláudio Ramos é, pelo contrário, a pessoazinha irritante da televisão portuguesa que se dedica a comentar a vida privada dos outros e que é declaradamente contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo; sim, esse.

Pois bem, o Cláudio saiu recentemente do armário e consequentemente saiu também em tudo o que é publicação LGBT desta Lusitânia. E nós, como pessoas horríveis (mas simpáticas) que somos, fomos investigar.
E realmente havia esqueletos no armário.

Ponto 1. A descoberta.

Cara amiga bicha Cláudio, achavas mesmo que nós íamos deixar passar despercebido o teu coming-out-tentativa-de-negócio-gay quando foste citado a dizer coisas como na TV Guia em 2007:
 - E o Casamento gay?
 - Também não aprovo. Sou Católico, vou à missa ao domingo com a minha filha. Acredito muito em Deus, embora às vezes briguemos
Achavas mesmo que nos íamos esquecer?
Pois claro que não. E o que é que nós fazemos neste blog às pessoas que para passarem uma máscara de heterossexualidade na sua vida privada se destacam contra os direitos LGBT de forma pública? Sabes?

Não, não as enxovalhamos. Isso é o que se faz nos programas côr-de-rosa da televisão; nós aqui escolhemos antes fingir que somos civilizados e limitamo-nos a evidenciar as suas acções, já que isso é um auto-enxovalhamento suficiente.

Pois bem, vamos lá então ao castigo. (dos maus, Cláudio, dos maus.)

Comecemos por explicar:

A amiga bicha Cláudio Ramos saiu recentemente nas notícias porque assumiu a relação que tem - e que vai "oficializar" - com o seu namorado. Aproveitou também a ocasião para informar ao nosso querido mundo LGBT que vai, já agora também, lançar um novo negócio.
E já que o contexto é a oficialização da sua relação, até calha bem que o Cláudio vá lançar uma linha de alianças muito "limitadas e exclusivas" "destinadas a um público diversificado e altamente exigente" - que é como quem diz na nossa encantadora gíria metropolitana, as amigas bichas!

É de facto uma pena que o casamento nunca venha a acontecer, não concordam?
Neste recente comunicado nota-se também outra coisa interessante. É que embora os meninos estejam a informar o mundo que este coming out é porque vão "oficializar a sua relação", reforçou-se também repetidamente que essa "oficialização" não terá a forma de casamento civil, ou de casamento-coisa-nenhuma.
Deus nos livre, que ainda nos cai o menino Jesus em cima!

Já viram a pena que dá? Eles não vão poder usar as alianças que estão a lançar (até porque são contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo).
 “Não é verdade. Não vou casar nem fazer nada do género. Nem nesse dia nem noutro qualquer. Não sei de onde saiu essa notícia.” diz ele na Jet7.pt

De facto, porque é que alguém haveria de supor que quando se oficializa uma relação as pessoas se casam? Toda a gente sabe que, no "mundo gay", quando nós oficializamos a nossa relação, o que queremos realmente dizer é que estamos prestes a ir ao Facebook mudar o status de "solteiro" para "numa relação aberta" ou para "é complicado". Não é?
(ou na sua versão completa: caro Facebook, isto hoje "está complicado" porque eu não estou com coragem para ir falar com a minha mãe outra vez. Ela ainda se zanga a sério se eu volto com as conversas de gostar é de pilinhas. Vou mas é antes tentar ficar rico primeiro para depois ir então viver a minha fantasia gay num T3 com piscina mais Garagem ali para os lados da Ericeira de Baixo).

A confusão, aliás, devia ser - como o Cláudio dizia - que se ele não aceita o casamento entre pessoas do mesmo sexo por ser católico e agora quer oficializar a sua relação com uma pessoa do mesmo sexo mas se ainda é católico.. O que é que ele faz?

[dramatização]
"Religião ou casamento? Deus ou as alianças? Hum.. Espera lá.. Se calhar dá para juntar o melhor dos dois mundos. E se eu fizer uma cerimónia sem me casar e na mesma fizer as alianças, mas aproveito e vendo-as antes? Ainda sou capaz de fazer uns trocos à custa da paneleiragem!" 
 (E esta foi a nossa maravilhosa encenação da conversa que os dois neurónios do Cláudio tiveram na sexta feira passada depois do almoço.)

Até uma ideia espectacular - a dele - não concordam?
Diz-se que bichas têm olho para o negócio por alguma razão; esta, de facto, tem.

Num tom mais sério.

O Cláudio Ramos é um excelente exemplo daquilo que este blog tanto critica: bichas cobardes que nunca assumem a sua sexualidade - que a desmentem - e que durante esse processo acabam inclusive por defender posições contrárias às do movimento pela igualdade das pessoas LGBT - um movimento que também deveria ser seu - quando dizem, como foi o caso, que são contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo e reforçam o estigma de que ser-se católico e ser-se LGBT são posições tendencialmente incompatíveis.

Mas, pior ainda, quando depois vêm assumir-se para a comunidade com um pretexto de coragem e amor, escondido num modelo de negócio que usa as pessoas LGBT como seu mercado preferencial, e cujos valores já tinham assumido que eram fundamentalmente contra.

A lógica aqui é portanto: não estamos com paciência nenhuma para as "tretas" dos direitos e do activismo, mas estamos no entanto super disponíveis para espremer o bolsinho arco-íris das bichas, quando nos lembramos do poder de compra da comunidade LGBT. Aí, sim, até já aparecemos todos sorridentes nas fotos com o namorado (que, só por acaso, antes era apenas um já-vos-disse-que-é-só-sócio-pá!-não-digam-disparates-que-ainda-vos-processo!)

Que bem, não é?

E agravante número três: o argumento habitual.

A grande maioria dos sites LGBT acabaram por publicar esta notícia como se o pilar central fosse qualquer coisa parecida com "o novo modelo gay português a conhecer e seguir" quando de facto o que estão a fazer é a branquear a postura homofóbica e cobarde desta pessoa e, mergulhando no seu golpe de Marketing, promover-lhe o negócio.
Negócio este que é dirigido a uma comunidade que ele nunca apoiou mas que agora é, de repente, a sua carteira de negócios.

Fim.

Foste esperto, Cláudio; e ganhaste. Mas houve pelo menos uma pessoa nesta blogoesfera que decidiu tentar perceber de onde vinha tamanha coragem repentina que contrariava tudo aquilo que deixavas transparecer.

Conseguiste também, ó muy ilustre bicha, entrar para os anais das Bichas Cobardes; e por isso te dou os parabéns. És mais um grande exemplo (a evitar a todo o custo) para todas as pessoas LGBT com valores neste país!

 Um grande bem haja a todos.

PS: Cláudio, se me tentares processar, aviso-te já: vais conseguir.

PPS: Cláudio Ramos mostrou alianças para homossexuais, eu não disse? as alianças têm símbolos masculinos desenhados. Não é espectacular? Nem se tenta esconder já o objectivo da coisa, estou maravilhado.

Um comentário:

  1. Este tipo O Claudio Ramos é Nojentoooooooooo e a cara metade idem... Nojentooos

    ResponderExcluir